c42_header_mrrobot

24 – Mr. Robot (Temporada 1)

Canal42 24

“O que vou te dizer é segredo. Uma conspiração que vai além de todos nós. Há um grupo de pessoas que manda no mundo secretamente. Estou falando daqueles que ninguém conhece. Daqueles que são invisíveis. Aqueles poucos que brincam de Deus sem permissão. E agora acho que eles estão me seguindo” – Elliot Alderson


Bruno Costa, Ricardo Rente e Davi Garcia conversaram sobre Mr. Robot. O que fez dessa série um fenômeno na internet? Quem é Mr. Robot? Quais são as influências da série? Quais as críticas que ela esconde?

Sinta-se em casa e deixe o seu comentário. \o>


TIMELINE DO PODCAST

[Introdução SEM SPOILERS | até 50min06seg]
[Temporada 1 COM SPOILERS | a partir de 50min07seg]


RELACIONADO AO TEMA

Nerdist Podcast – indicado pelo Ricardo

Não perca nenhuma edição do 42. Assine:

iTuneshttps://itunes.apple.com/br/podcast/canal42.tv/
Android/Windowshttp://feeds.feedburner.com/canal42podcast


REDES SOCIAIS

Twittertwitter.com/canal42podcast
Facebookfacebook.com/canal42podcast
Instagraminstagram.com/canal42podcast


SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS

Envie e-mails para: canal42podcast@gmail.com


OUÇA AGORA O PODCAST

Aperte o play abaixo e bem-vindo ao nosso mundo:


Quer baixar essa edição para o seu computador? CLIQUE AQUI!

Comentários

  • Daniel Diggory

    Mas já?

  • Angriest_Kidy

    Eita, já???? E cade o bufão do Juras???? (

    • Bruno Costa

      Juras está com problema de saúde Kidy. Por isso ele não pode gravar nesse episódio. Está se recuperando e deve voltar semana que vem.

      • Angriest_Kidy

        Vida longa para o comedor de rapadura. =D

  • Daniel Diggory

    Ótimo programa!

    • Bruno Costa

      Valeu Daniel!

  • Diogo Gosch

    A gente só escuta que o pai do Elliot morreu de cancer uma vez, e quem diz é o Elliot. Todas as outras pessoas dizem somente que ele morreu por causa da corporacao.

    Tambem é dito pela mae do Elliot no flashback que o pai dele era um covarde e que o Elliot revelou o segredo do pai dele.

    E SE na verdade, o pai dele foi trabalhar na Evil Corp e lá acabou sendo responsável pela morte de várias pessoas.

    Mas conseguiu esconder

    O Elliot acaba descobrindo depois e entrega o pai, pois aprendeu com o mesmo que o ladrao que merece fiar escondido e ser sucedido é o que nao é pego. Nao sendo o caso do que aconteceu entao.

    Tomado pela culpa do que aconteceu, o pai do Elliot entao se mata, ao inves de cometer suicidio

    e todas as alucinacoes e piras do elliot vem da culpa dele ter causado o suicidio do pai

    • Elias Carpeggiani

      Interessante, pode ter relação com quem realmente caiu da janela da casa onde eles moravam.

    • Pedro Cassimiro

      Interessante, realmente pode ser. De repente o pai dele é o responsável pela morte da mãe da Angela. Vale a pena uma análise sobre isso.

  • Elias Carpeggiani

    Excelente cast! Faltou citar a referência com O Diabo veste Prada na hora que a Angela vai comprar o sapato novo…. Heheh.

  • Pedro Cassimiro

    Não ouvi o cast de Mr. Robot ainda, por isso não sei se vocês falam do Elliot ter mais de uma identidade ou não. Mas eu estava pensando que talvez o pai dele não seja a única pessoa que ele tenha essa dupla identidade, eu estava pensando no Tyrell. O fato do Elliot conseguir entrar na empresa de cartões de crédito, a conversa do pai do Ellitot com o Tyrell naquele carro, Tyrell ir até a casa do Elliot, dele acordar no carro do Tyrell e o mesmo desaparecer. Talvez a esposa dele saiba dessas identidades, e por isso só conversa com ele em um idioma específico(alemão, sueco não sei). Como se o Elliot estivesse em uma matrix dentro da própria cabeça. O que vocês acham?

    • O Bastardo

      Não rola pela falta de tempo hábil. Não daria pro Elliot ser um puta executivo do maior conglomerado do planeta, trabalhar na AllSafe, ser um hacker justiceiro e um freak ao mesmo tempo. E tem ainda o fato de que o chefe do Elliot (Gideon Goddard) interagiu com os dois separadamente.

  • tédio

  • Sensacional o episódio!!!

    MR ROBOT é de longe pra mim a melhor série de 2015! Toda a fotografia, roteiro, amarrando toda a história de uma forma meio caótica, sem contar tudo, sem a gente saber tudo que aconteceu entre os cortes, chegar a ser agoniante. O Final da temporada explodiu a minha cabeça, confesso que eu fiquei meio decepcionado quando descobri que o Mr Robot era Pai do Eliott, pq eu esperava bastante do personagem, que iriam hackear o mundo, mas o final deu uma boa explicação e um ótimo gancho para a próxima temporada. Sem dúvida promete muito e temos que fazer a série ir pra frente pra não estourar nas próximas temporadas, tem que estourar agora e já!!

    #FSociety #MrRobot #OurDemocracyHasBeenHacked

  • Não tinha pensado no jornalista que morreu na vida real e a conexão com a série.

    • Bruno Costa

      O Season Finale foi adiado em uma semana por causa disso.

  • Rodrigo Deway Bacelar

    Excelente série. Protagonista interessante, coadjuvantes que fazem a trama sempre avançar e uma história ácida, atual e com ótimos diálogos.
    Pra mim já é a melhor nova série de 2015.

  • Said Tayar Segundo

    SPOILER: Alguém notou, na cena onde a Angela vai comprar o sapato novo, o “J. Safra” atrás dela, do outro lado da rua?

    • Said Tayar Segundo

      Em tempo hehehe

      • Amaro

        kkkkkkkk

    • Bruno Costa

      Nem notei cara! Vou rever a cena!

  • frostbr

    Bacana a teoria de que nós somos o Mr Robot/Elliot.
    Imagina que loucura se no fim eles mostrassem um jornal antigo, e nele tivesse a notícia da morte de uma pessoa com o rosto do Elliot mas com outro nome.

    • Bruno Costa

      Ia ser foda para caralho!!! uhauhauhaaha

  • tiekito

    Falta indicar na time line do post as notas. Quem não viu série, ouve a introdução e depois pula pra notas!

  • Don Ramon

    O Tyrell fala sueco e a Joanna fala dinamarquês.

    Putz, a série é excelente. Excelente mesmo. Não digo que o roteiro é o melhor (crítico e tal, boas sacanas), mas a parte técnica. Referências a David Fincher, youtube (aqueles closes e tal, como quem fala com câmeras), algo de uma estética ultra-limpa, meio Apple, cinema coreano. É das melhores estreias do ano com certeza.

    OBS: não sei ainda se o Whiterose traiu a FSociety, aquela “persona executiva” pode ser mais um disfarce dele.

    • Bruno Costa

      Don, eu acho o roteiro foda. E isso só é visível por essa parte técnica tão apurada! Tudo está te contando a história, desde uma direção de arte apurada, até a trilha, até a fotografia…nossa! Mr. Robot consegue ser complexo e ao mesmo tempo simples, a sociedade que ele mostra é a nossa – identificação rápida – em uma estrutura que já compreendemos, o grande ponto são os personagens e suas complexidades. Eu diria que é a melhor série do ano e se caminhar assim, pode ser um novo divisor de águas nas séries. Trazer uma ousadia de narrativa ainda maior para esse universo, algo que só vimos no cinema. Quando digo narrativa, falo do conjunto como um todo.

  • Pra mim é a melhor série do ano!

  • Fabrício Ramos

    Terminei a série agora e minha cabeça está no teto!
    A trilha, como o Ricardo mesmo disse é muito boa, porem não me lembrou a filmes antigos e sim de games interativo da década de 90.
    A série começou fechadinha, depois se abriu e cada personagem teve a sua trama, para depois os personagem se juntarem novamente, e isso também foi muito bem feito.
    A trama do Elliot explodiu minha cabeça por duas vezes, porque eu fiquei me perguntando “é… não é… aaah, é sim… não.”, e no final das contas era além do que eu pensava!
    Eu estava com saudade de uma série que explodisse minha cabeça e Mr. Robot fez isso muito bem.
    Estou muito ansioso para a segunda temporada!

  • Alan Zim

    Ainda não vi,mas vou ver sim!
    Esse ator é o Josh do Until Dawn o_O

  • César

    O roteiro é cheio de detalhes bem sutis e interessantes. Por exemplo, o Elliot funciona mesmo como um software de computador, sempre adicionando novos códigos à sua programação. A Shayla fala pra ele: “não precisa pedir pra me beijar, é patético, apenas faça”, e é exatamente o que ele faz com a Darlene, só que o resultado não sai como bem esperado.

    Outro ponto a ser elogiado é o jeito de filmar Nova York. Nada de fotografias aéreas de arranha-céus suntuosos como a gente já está acostumado, aqui tudo é filmado no chão, ou debaixo dele como demonstra as várias cenas no metrô. É a realidade do personagem, calçadas e faixas de pedestres lotadas, vizinhanças afastadas, nada muito luxuoso.

    Recomendo muito esse papo com o criador Sam Esmail, onde ele realmente declara ser “filho de Lost”: https://www.youtube.com/watch?v=r9L9t80VkjA

    E esse outro vídeo aqui explica a estrutura do frame das cenas, que não obedece regras: https://vimeo.com/137119034

    • Bruno Costa

      Boa observação sobre a Shayla. Eu diria que o Elliot na verdade é um robô, sempre tentando se aprimorar e aprender. Tanto que, na atuação do Malek, ele parece muitas vezes robótico mesmo. Parece sem emoção. Da umas engasgadas na fala, como se estivesse processando a informação.
      Sobre a composição do enquadramento, a quebra da regra de terços é notória e falamos isso no cast, esse sentido de opressão o tempo todo que está totalmente ligado à narrativa.
      Veja bem, em um filme ou série, tudo deve estar a favor da história a ser contada. Tudo deve favorecer a narrativa.
      Essa quebra das regras normais, não centralizando os personagens ou equilibrando os planos muda também, principalmente para o fim da primeira temporada.
      Da uma sacada novamente no episódio final 🙂

  • Ivern Maien

    Cara, tem uma referência que vcs não citaram, sobre o lance de o Elliot conversar com a gente. Trainspotting!!!!

    • Bruno Costa

      Bela lembrança! Existem muitas referências que a gente não teve tempo de abordar. A própria roda gigante, o fliperamae etc..foda fazer um programa de uma hora e quarenta e conseguir debater tudo.

  • Michel Melo de Souza

    Fiz maratona de Narcos achando que o cast seria essa semana kkkk. Agora vou ter que fazer maratona de MR. Robot. Esse é o 4° cast que não posso ouvir por não ter assistido a série : (

    • Bruno Costa

      Michel, a gente sempre está avisando do que iremos falar nas redes sociais e no final de cada cast. Ouve a parte sem spoilers para saber o que esperar da série! 🙂

  • Tiago Medeiros

    Em tempos de hype [toda série nova é fantástica, única, todo mundo adora e etc] fui assistir Mr. Robot esperando muito pouco e e surpreendi. Não é a melhor série de todos os tempos, mas é um ótimo respiro num mar de mesmice!
    Ah! O Cast está excelente! Acredito que quem ainda não viu a série se sentiu instigado a assistir o mais rápido possível! Já estou cobrando aqui um programa sobre a temporada 2 [assim que ela terminar]!

    • Bruno Costa

      Obrigado Tiago, realmente nesse mar de mesmices, Mr Robot faz diferença. Acho que das séries novas, foi a que mais me surpreendeu, justamente pelo fato de não esperar nada dela. Obrigado pelo elogio ao cast cara! 🙂

  • Keyser Söze

    Seriado é bom, gostei bastante…

    Mas o discursinho socialista me incomodou bastante, ainda mais usando referencia dos anônimos que são anti-governos não anti-empresas. Se pelo menos falassem dos governos, desse capitalismo corporativista eu gostaria bastante, mas esse discurso anárquico socialista, paranoico, não me pega, “olha como vivemos numa fantasia”, “você não tem poder de escolha”, “você é um imbecil uma criança que não sabe oq é melhor pra você, eu sei”, “eu sou um junkie, antissocial que sei a verdade”, “olha como eu não entendo nada de economia, ninguém vai dever mais nada, como isso é justo”, “olha como eu não sei nada de história e a sociedade nunca esteve tão bem graças ao capitalismo e essas grandes empresas”.

    O problema não está nas corporações e sim nos governos e os governantes, quanto mais poder o governo tem mais as empresas vão compra-lo, mais corporativismo terá.

    O mais engraçado deve ser assistir esse seriado ao vivo, ae no meio tem intervalo numa empresa privada onde sua receita são as propagandas de varias corporações no meio desse programa.

    Gostei do seriado, vou acompanhar até o fim mesmo eu sendo um capitalista opressor.

    “De a um homem uma arma e ele poderá roubar um banco, de um banco a ele e ele poderá roubar todo mundo….de um exercito a ele e ele será o governo”.

  • Bruno Coutinho

    Sei que a tendencia é falar logo das seriesmque estão em alta, mas não esqueçam as que estão ai a algum tempo e nao são tão populares, um 3pack talvez.
    Mais uma coisa Twin Peaks pra quando? (:

    Otimo cast.

    • Bruno Costa

      Falaremos aos poucos, são apenas 24 episódios né?! 😉

  • Eu curti toda a primeira temporada. Série sensacional.

    Apesar do mimimi com a parte tecnológica e o “hack”, fiquei surpreendido pois foi a série/filme que assisti que mais se aproxima da realidade de um hacker. Principalmente demonstrando que precisa de tempo e muitas vezes um pouco de engenharia social. Mas o foco da série não é esse. O foco é a crítica à sociedade e tudo o que vocês comentaram no episódio. O que, na minha opinião, ficou ótimo também!

    Sobre o Mr. Robot, depois que descobri a verdade, tive que voltar alguns episódios para reassistir e perceber, esbasbacado, que a resposta sempre esteve ali. Quando entendi o esquema, me senti no “Sexto sentido” hahahaha

    Ah, curti o fato de ele falar com nós. Realmente faz diferença.

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

  • Filipe Leite

    [Spoiler, Spoiler, Spoiler] #saudadesshayla!!! Gostava bastante da personagem e demorei para acreditar q ela havia morrido!!!

    • Bruno Costa

      ela era foda!

  • Uma coisa que eu achei bem interessante é o fato deles nunca falarem a palavra “fuck”. Não sei se isso acontece nos releases que baixei apenas (acho que não pois perguntei a um amigo e ele me confirmou). Logo no primeiro episódio, qd Elliot está com Krista, ele vai falar “fuck society” e fala apenas “f… society”. Eu pirei nisso qd revi o piloto pq, porra, a fsociety já estava imposta na mente dele desde o começo. Posso estar viajando, mas eu realmente achei isso muito legal!

    • Eles falam Fuck sim mano….

      • Falam sim. Um amigo me mandou um vídeo do release que ele baixou com ele falando “fuck”. Porém, o que eu baixei não fala. :s

  • Cassiano Lima

    Olá Caras,

    Demorei a ver Mr. Robot por achar que seria uma série episódica de um carinha
    hackeando a galera e solucionando alguns crimes. Me enganei, que bom. Série foda, linguagem diferente, ousada. Quando vi o ator Rami Malek no episódio piloto eu pensei “esse cara não vai segurar essa série”, por achar a interpretação dele sem emoção alguma, mas é isso que torna a atuação dele fantástica. Só vendo a série pra você perceber que ele encontra o tom certo, vai até o limite de uma interpretação que te compra.

    Vocês falaram tudo que eu gostaria de expor sobre a série, parabéns.
    Fiquei triste com a morte de uma personagem, achava ela incrível, vocês sabem de quem estou falando.
    Outra coisa, que boca linda é aquela da mulher do Tyrell… G-zuiss, Mary, Joseph.

    Ótimo Cast…Abraços!

  • Igor

    excelente cast. Sem duvida Mr Robot foi a surpresa do ano. Só espero que não soframos com o “mal do hype” que o detetive verdadeiro sofreu na segunda temporada. Eu espero que na segunda temporada eles mostrem mais dos outros integrantes da fsociety(fora a Darlene obviamente), Eu fiquei com uma duvida, ficou estabelecido quem é o cara de máscara do fsociety que aparece com a mascara de monopoly na tv? é o eliott mesmo ou tem mais alguém na equação?ou não importa? rs.

    Obs:Só por curiosidade, no ultimo episódio. Naquela cena excelente da Joanna com o Elliot, ela diz pra ele em dinamarquês “se você fez alguma coisa a ele(Tyrell), eu vou te matar”.

  • Antonio Vítor

    Tyrell Corporation é o nome da empresa que fabrica os Replicantes no Blade Runner.

    • O Bastardo

      Lembrei da mesma coisa vendo a série.

    • Bruno Costa

      Olha, tinha me esquecido de comentar isso. Falei dos replicantes no programa e essa informação eu passei batido. Valeu pelo complemento Antônio.

  • O Bastardo

    Boa série, mas vamos devagar com o andor.

    Fui com a expectativa relativamente alta pra ver essa série, e isso talvez tenha prejudicado a experiência. Coisas chupadíssimas de Clube da Luta, Matrix, Dexter, House of Cards, V de Vingança e blá blá blá me deixaram com a sensação de “já vi isso antes e melhor”. A maioria das viradas do roteiro foram bem previsíveis (pra mim, pelo menos). As críticas sociais são bem ingênuas, o que não é defeito em si, depende do objetivo da série. Referências são sempre bem vindas, mas aqui ficou explícito demais, e até “parecido” demais pro MEU gosto. Nem todo mundo é Tarantino.

    Tirando Rami Malek que está excelente no papel, o casting é de mediano pra ruim. O núcleo escandinavo chega a ser patético com aquela versão “novela das nove” de House of Cards. Nenhum daqueles ataques de pelanca do “psicopata sueco” me convenceu.

    Apesar de tudo, é uma série que prende, a trama é interessante, é bem dirigida, a parte técnica é de encher os olhos, e o personagem de Elliot Alderson é espetacular! São dele os melhores diálogos, as melhores cenas, e a melhor atuação do programa. Algumas metáforas são muito bem sacadas: o lance de ele ver as pessoas e ele mesmo como softwares, onde existe um código fonte a ser exposto, o daemon dele ser a droga e tantos outros.

    Vale a pena conferir, mas colocar Mr. Robot como a melhor série de 2015 é ir no hype. Ainda mais num ano que tivemos Better Call Saul, Demolidor e Narcos pra citar três que acho que estão um nível acima (pra dizer no mínimo) da boa Mr. Robot.

    PS: Ou o Ricardo Rente nunca assistiu Clube da Luta, ou ele é a pessoa mais inocente do mundo mesmo hahahahaha. Ganhei que o Mr. Robot era o “Tyler Durden” do Elliot na primeira cena do metrô.

    • Bruno Costa

      Fala Bastardo,

      me permita discordar de ti meu camarada em alguns pontos:

      “A maioria das viradas do roteiro foram bem previsíveis (pra mim, pelo menos). As críticas sociais são bem ingênuas, o que não é defeito em si, depende do objetivo da série. Referências são sempre bem vindas, mas aqui ficou explícito demais, e até “parecido” demais pro MEU gosto. Nem todo mundo é Tarantino.”

      Pq a série não é sobre crítica social, ela é sobre a relação de um pai e um filho e a motivação que um leva ao outro. O contexto social serve como um background de conteúdo, o tempero da série.

      “Tirando Rami Malek que está excelente no papel, o casting é de mediano pra ruim. O núcleo escandinavo chega a ser patético com aquela versão “novela das nove” de House of Cards. Nenhum daqueles ataques de pelanca do “psicopata sueco” me convenceu.”

      Discordo novamente, acho o Rami foda. Só não descarto o incrível personagem do Tyrell, nem a sua esposa. Também gostaria de destacar 3 personagens que ajudam muito a trama: Angela, Darlene e Mr. Robot. Os 3 atores estão muito bem em cada um desses papéis.

      “Vale a pena conferir, mas colocar Mr. Robot como a melhor série de 2015 é ir no hype. Ainda mais num ano que tivemos Better Call Saul, Demolidor e Narcos”

      Vamos analisar juntos: Demolidor e Narcos são Netflix, que já possuem um selo alto de qualidade. O Demolidor já tem a base de fãs das hqs, mais de 50 anos de histórias (algumas clássicas), e com dois atores muito bons (Charlie Cox e Vincent D’onofrio). Better Call Saul é do Vince Gilligan, o cara manja dos paranauês, não tem como esperar um produto ruim.
      Agora Mr. Robot? Quem conhecia Sam Esmail? Christian Slater não tinha mais relevância nenhuma nem em tv e muito menos no cinema..acho que por tudo, ela foi a melhor e mais surpreendente do ano sim.

      😉

      • O Bastardo

        Então, não coloquei no texto, mas essa relação entre pai e filho foi um dos acertos da série pra mim. Aliás quase tudo envolvendo Elliot. Como destaquei, a crítica social ser ingênua não é necessariamente ruim, mas a mim pareceu que o roteiro tinha um pouco essa pretensão.

        Sobre os atores, só Christian Slater que achei que funciona bem, nos outros eu realmente não vi nada demais, medianos. Sobre o sueco (não lembro o nome dele rs), ele me irritou mesmo. A cada nova faceta que era revelada sobre o casal, automaticamente me vinha House of Cards na cabeça. Sei que devem existir outros casais desse tipo em séries e filmes, mas pra mim ficou parecendo bem chupado mesmo.

        Aí eu discordo totalmente. Eu assisto a série independente do background, acho que ela tem que ser boa e ponto. Lógico que relevo o fato de ser o primeiro trabalho do cara, em um canal sem tradição nesse meio, mas ela tem que ser analisada com olhar crítico, pois diferente de muitos produtos de TV, ela se leva a sério. Nic Pizzolato era novato também, e fez um produto perfeito (com muito mais dinheiro provavelmente). Mr. Robot com certeza é a série revelação de 2015 por todo o background dela, e tem muitas coisas ótimas, mas qualidade de roteiro, atuações, e personagens tem que ser analisados independente disso. O que quero dizer é que ela poderia ter sido muito melhor, mesmo no seu primeiro ano. Abraços!

  • Layon Rodrigues

    Ainda bem que não tem o Izzy Nobre pra atrapalhar.

  • Norberto Silva

    conseguiram me convencer… já “aluguei” o primeiro capítulo e vou conferir ainda essa semana.

  • Bruno Rodrigues

    Galera, vcs comentaram que último episódio foi adiado pelo lance do assassinato dos reportes e tal, mas e o esquema do vazamento do Ashley Madison, que é citado quando a Psicologa se encontra com o cara que a traiu, se o episódio fosse ao ar no dia 26/08 como previsto, seria apenas alguns dias após esse vazamento… A citação foi coincidência? Sei lá, mais adiando por mais uma semana seria o time perfeito para encaixar essa cena no contexto, o que fez bastante sentido até… #teoriadaconspiração

  • Pessoal, tudo bem!

    Primeira vez ouvindo vcs aqui….vi um twitt do @eddiethedrummer:disqus falando sobre vcs, entrei no site e vi este episódio do Mr. Robot, como já havia assistido, E GOSTADO MUITO, resolvi ouvi-los….e que grata supresa! O podcast de vcs é muito bom, parabéns. Já adicionei no meu agregador.

    Sobre a série acho que será A SÉRIE DO ANO, acho que ganha de Narcos, GoT5, e outras….deve ganhar vários prêmios.

    Obrigado pelas leituras que fizeram e que me fizeram reviver o que tinha assistido, com o acréscimo de detalhes que vcs observaram…foram quase 2 horas de episódio que valeram muito a pena.

    Abraço,
    Franklin Almeida
    Blog Achando Graça

  • Luciano Valério

    Só te falo uma coisa: adorei essa série e já aguardo a segunda temporada ansiosamente.
    Gostei da fotografia, da trilha sonora, da atuação do protagonista e da surpresa com as reviravoltas da trama.

  • Vivian Padilha

    Ótimo cast! Essa série é incrível!

    • Bruno Costa

      Obrigado Vivian!! 😉

  • Luis

    Conheci este site hoje. Muito bom esse cast, a edição tbm! Parabéns. Estou ouvindo vários

    Uma pequena correção; Quando a Angela vai comprar o sapato ela está experimentando vários modelos, e quando ela está cheia dos esporros do cara ela fala algo do tipo “now bring me the pradas” pedindo o prox. sapato para experimentar, da marca Prada. O que já remete um pouco ao comportamento desses ricaços e como eles tratam os servidores de seja qualquer coisa… Significando que ela já está ficando igualzinha a aqueles no poder.

  • Gustavo Sant’Anna

    Acabei a série hoje e PQP. Acho que os ultimos 4 episodios são os que mais deixam o espectador confuso, tipo “Isso é real? Isso não é real? Meu deus é real, é real… não, não, agora não é real” IASJIASJIAS

    Muito bem feita, estou recomendando pra todo mundo que conheco.

  • Giuseppe Solimena

    Po se eu não me engano vcs falaram que na cena pós crédito seria uma reunião/festa da ECorp… Que estavam curtindo vendo o “circo pegar fogo”…
    Mas eu enxerguei algo mais além, mais conspiratória e tal. Hahaha…
    Vocês estão familiarizados com Roschilld group ? Os vugo illuminatti hahaha! Então. Nessa cena pós crédito eh como se fosse os 1% dos 1%. As pessoas que brincam de deus com a gente sem que saibamos!
    E outra curiosidade. A logo marca da ECorp eh EXATAMENTE igual a da Enron! Se não souberem de uma pesquisada sobre, e tem um doc MT legal : ” Enron: os mais inteligentes da sala”… Era uma empresa de mercado futuro de energia. E mostra o de mais sujo desse sistema capitalista.

    PS. Os 1% dos 1% inclusive manipularam a fsociety para seus próprios interesses. Interesses esse que não sabemos qual, e ter zerado as dívidas foi apenas um passo!

  • Francesca Abreu – Manu e Nelle

    Segurei o podcast no minuto 50 para poder assistir a temporada de Mr. Robot. E foi a melhor coisa que fiz, hein??? muitas coisas aconteceram e que me surpreenderam na série que se eu ouvisse o podcast, teria estragado a surpresa.

    • Francesca Abreu – Manu e Nelle

      Parabéns pelo cast. Excelente.
      A série é ducaraí…vale muito a pena.

  • Otávio Ferraz

    Passando aqui só para avisar: no podcast sobre LOST, por favor, chamem o Davi Garcia novamente!!!

  • Maximiliano Prado

    Desconfiei quando ele impediu o hack na AllSafe. O nome Fsociety, pq antes disso ele, na sua imaginação, grita”fuck society” no consultório da psicóloga…

  • Marcel Andrade

    Putz, o personagem do Tyrell é sacanagem. Aliás, no que se a personagens o núcleo dele foi o que mais me agradou. Assistiria fácil um Tyrell Begins. hehehehe

    Esse cara merecia figurar nas premiações como ator coadjuvante. É legal o Slater dar essa volta por cima, muito massa mesmo. Mas a grande atuação é desse sueco. Ele foi a cola fundamental pra me manter firme na série.

  • Carlos Vinícius

    serie surpreendente.

  • Franklin Guirra

    Estou revendo o série minuciosamente agora que escutei o cast. Vi o piloto até o momento e o começo do segundo episódio e passei a elaborar uma teoria depois de notar alguns fatos e curiosidades.
    Fiz uma buscas por Elliot, e encontrei T.J.Eliot. um poeta americano quê utilizava uma técnica narrativa na qual não se sabe se o personagem está falanda sobre fatos ou está fantasiando.
    As letras das músicas que dao nome aos backups tem relação com seus sentimentos sobre os investigados. Ex: a música da psicóloga fala sobre solitários.
    Existe uma simbologia no peixe betta azul. A espécie foi modificada pelo homem, tem como característica ser solitário e deve ser mantido assim, isolado, por ter tbm comportamento agressivo. Note que existe uma relação narrativa no início do segundo episódio dele com o peixe, na qual ele pede ajuda ao seu alter ego para trabalhar e não se sentir só. O nome do peixe, QWERTY (um sistema, layout de teclado), é dito várias vezes nos episódios iniciais.
    Mas o fato que me entrigou foi a seguinte. A cena final do primeiro episódio/início do segundo, apesar do diálogo e montagem nos levar a crer que é linear, não é. A cena realmente se passaria no início da série. Essa dica temporal foi colocada na fachada do restaurante vizinho ao apartamento do Elliot. Note que existe uma placa de apartamento vago. Placa que não está presente no início do segundo e que volta a aparecer nos próximos episódios. Essa placa é bem frisada nas cenas. Esso explicaria muito sobre a cena do encontro entre Elliot e Tyrell. Pode se notar um ar de cumplicidade meio disfarçada e desconfortante entre os dois. E provavelmente o ato de entregar do envelope foi algo planejado tbm pelo Tyrell. Note que o diretor enfatiza o olhar do personagem na entrega do envelope. Outro fato é o diálogo introspectivo que segue após a reunião. Que a primeira interpretação nos leva a acreditar que ele fala sobre ajudar a manter a segurança da evilcorp, mas pode na verdade significar “ajudar” aos propósitos do Tyrell, ou um grupo à cima dele. Ele tbm afirma nesta parte que é pequeno demais para mudar td. Isso pode levar a interpretação de que ele possa ter entrado nisso pelo dinheiro prometido por Tyrell. Dinheiro que mudaria sua vida, e principalmente a da Moss, principal motivadora na decisão da entrega do envelope.
    Um fato peculiar é o comprimento “bonsoir” que é dito sempre de dia. Mas que interpretei como tipo “bem vindo ao sonho”, quem sabe até “bem vindo ao grupo” Elliot.
    Existiria assim um lapso de três meses ou um pouco mais nos acontecimentos da série entre a reunião e a entrega para o FBI. Tempo no qual ele planejou e passou a ficar próximo a sua irmã.
    Não encontrei ainda uma relação entre o tempo de seus surtos citados por ele com sendo: “a cada duas semanas ocorrem essas crises de choro”. Mas deve ter algo a se relacionar.
    Gydeon afirma no piloto que alguém na Evil Corp gostava deles. Nesca caso acredito que seria Tyrell providenciando que Elliot planta-se o IP falso. Em uma das falas da reuniao tyrell afirma que garantiria que o Elliot estivesse no local certo (ao lado dele). E para salvar o plano da invasão mais a frente na série ele tem uma intervenção de ajuda mais clara no plano.
    Se a teoria que tenho de que ele possa ser massa de manobra de algo maior for verdadeira. Atribui ao nome Mr. Robot um novo significado. E isso poderia ser confirmado pelo pôster, que retrata os edifícios (símbolo dos poderosos dominante) sob sua cabeça. Imagem em que seu rosto está coberto pelas sombras. Uma figura sem persona. O que justificaria a traquilidade do encontro no último episódio. Pois seria a comemoração da execução de seus planos.
    Ah fica dica:
    no máximo 5 temporadas segundo o criador. E quantos anos vive um peixe Betta.

  • Franklin Guirra

    O que vc acha Bruno Costa?

  • Danilo Pereira

    Entre os elementos da cultura pop vejo também a referência à Sopranos (a relação com a psicóloga como um fator importante no desenvolvimento do protagonista) e GoT (assim como Mindinho, um indivídou maquiavélico que busca o poder absoluto (e com o nome de Tyrell…)).

  • Lucas Fonseca

    Entrou na minha top list fácil! (só perde pra Breaking Bad)
    Parabens pelo podcast!

  • Adeandros Esdras

    Ta na hora de re-ouvir o cast como preparação para a segunda temporada

  • Maurício Pereira de Souza

    Cadê o link do Telegram?

  • Diego C.

    Queria ter gostado mais dessa série.

    Em questões técnicas acredito que a série é muito bem executada. Isso junto com algumas atuações fazem valer a pena assistir Mr. Robot. Porém varias coisas no roteiro me incomodaram a ponto de não ter o menor interesse em ver as próximas temporadas.

    A visão sobre a sociedade que a série apresenta é totalmente distorcida e tendenciosa. Todas as pessoas da Evil Corp. são retratadas como o pior do ser humano. Entendo que isso possa ser “a visão do personagem”, mas pra mim isso não colou. Pra mim ficou a impressão de que a série estava tentando pregar muito a ideai de que as organizações só exploram os pobres trabalhadores inocentes.

    Outro ponto é esse plano furado de apagar os históricos de crédito de todo mundo. Sério que isso vai fazer tudo mudar? E as milhares de empresas que fechariam com uma ação dessas? E os milhões de pessoas que perderiam o emprego? Acho que são pontos interessantes de serem discutidos.

    As viradas de roteiro são bem óbvias, com exceção da Darlene ser irmã do Elliot, e a trama da vizinha, na minha opinião, não contribuiu com o desenvolvimento dos personagens. No cast é dito que isso fez o Elliot perceber que as ações dele tem consequências, mas e daí? Isso não impacta no comportamento do personagem depois.

    Por fim, um personagem que me decepcionou bastante foi o Tyrell. A principio, a série da a entender que ele pode ser um hacker foda (já que ele usa Linux ¯_(ツ)_/¯ ) e que poderia ser o antagonista do Elliot. Mas no final ele era só um porra-loca que só fez cagada atrás de cagada indo de encontro ao personagem metódico e calculista que ele parecia ser.

    Entendo o porque de muita gente ter adorado a série. Ela tem muito potencial, e o assunto é muito atual. Infelizmente pra mim ela não colou #perdaopelovacilo.

[contact-form-7 id="78" title="Formulário de contato 1"]
Mostrar
Sumir