S02E06: Making a Murderer [Temporada 1]

CANAL42 S02E06

“Eu sou inocente.” – Steven Avery


Bruno CostaRicardo Rente e Wilker Medeiros analisam a primeira temporada de Making a Murderer. A série da Netflix é tendenciosa? Quais são os pontos nebulosos do caso Avery? Você concorda com a sentença atribuída ao réu?

Sinta-se em casa e deixe o seu comentário. \o>


 ASSINE O NOSSO FEED

Não perca nenhuma edição do 42. Assine:

iTuneshttps://itunes.apple.com/br/podcast/canal42.tv/
Android/Windowshttp://feeds.feedburner.com/canal42podcast


SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS

Envie e-mails para: canal42podcast@gmail.com


OUÇA AGORA O PODCAST

Aperte o play abaixo e bem-vindo ao nosso mundo:


Quer baixar essa edição para o seu computador? CLIQUE AQUI!

Comentários

  • Keilla Teixeira

    Fazia tempo que eu não devorava uma série como essa. Eu necessitava saber o que ia acontecer com o Steven.
    Obviamente a série foi feita por pessoas que acreditam que ele é inocente, então tem viés. E ela é construída de forma a fazer você questionar todo o sistema penal americano. Seria possível toda essa maquinação de acobertar e incriminar por causa de um cara? Eu não tenho certeza, mas também não duvido do potencial de perversidade do ser humano.
    Só sei que eu simpatizei imediatamente com os advogados de defesa. Aqueles caras são incríveis. E fiquei com nojo do Ken Kratz, principalmente depois das revelações do comportamento dele. Que bicho escroto.
    E eu acho que o Steven é inocente. Pra mim quem matou a Teresa foi o padrasto e/ou o irmão do (idiota do) Brendan. E como este último tem problemas mentais acabou incriminando o tio.

  • mooglez

    Vi essa série praticamente em uma noite com a minha esposa. Nós estávamos procurando o que ver e ela lembrou de ter visto uma matéria sobre a série. Sem saber o que estava acontecendo ou que aconteceria, assistimos tudo sem parar.
    O fim dela me deixou muito frustrado com a justiça. Claro que existe uma ideia da produção em te convencer de que Steven é inocente. Mas são tantas coisas que são apresentadas, como a ampola de sangue violada, que me deixou a certeza de que ele foi injustiçado

    Ótimo trabalho de vocês e gostei demais a forma como introduziram o assunto. Com uma discussão muito válida sobre a diferença entre crítica e opinião. Só esse começo já me fez gostar do material de vocês.
    Gostei demais!

    • Bruno Costa

      Tu viu tudo e uma noite? Caramba!!!

      • mooglez

        Sim, a série é muito boa! Acho que tivemos estomago demais! Hahaha

    • El Luchador

      Nossa! Mais de 10 horas em uma noite?!
      Cês tão de parabéns! HAHAHA

  • Wilkson Luiz Silva

    Correndo para assistir

  • San Ramon

    precisando ver também. Ouvir só a parte sem spoiler.

  • João Neto

    Usaram o tema do The Last Of Us no início *-*

  • Johnny_Gomes

    YAAAAAAAAAAAAAAAAAH!! vcis são foda!

  • Johnny_Gomes

    Sempre achei que o ex-namorado matou a Teresa…

  • Eduardo Rodrigues

    Programa ótimo! Essa série me deixou muuuito agoniado. Eu vi The Jinx logo depois de ver Making a Murderer e achei foda também!
    Ah, quando é que sai programa de Fargo? <3

    • Bruno Costa

      Está nos planos para esse ano ainda!

  • Natália Araujo

    Olá! Estava ansiosa por esse programa!
    Apesar de sentir a falta do Juras, adorei a participação do Wilker, por saber através do Rapadura que gosta de documentários, achei que foi uma participação perfeita pro tema.
    Assisti a série toda com o pensamento que Steven é inocente, porém ao acabar percebi que nunca vou saber se isso é verdade, não tem como saber. Não posso deixar de duvidar que ele é capaz de fazer isso, apesar de todas as provas doidas que colocaram contra ele. Mas sou mais propensa a aceitar a ideia de que o ex namorado da Teresa e o irmão do Brendan são os assassinos.. Fiquei com isso na cabeça no final da série.
    Só queria que o Steven tivesse um julgamento justo… :/
    E obrigada Ricardo! Você falou tudo o que pensava e comecei a pensar sobre a pena de morte! Também sou do Rio e não sei se pela gente conviver com a violência diariamente, começamos a pensar a favor da pena de morte, por cada coisa absurda que ficamos sabendo… Depois dessa série, não pude mais ser a favor, quem sou eu para julgar se a pessoa deve morrer? Como posso ter certeza se ela é merecedora disso? E se no final ela for inocente?
    Fiquei tão agradecida pelos advogados de defesa, pois aparentaram fazer o possível de verdade para tirar o Steven daquela situação..
    Enfim, mais um programa excelente! Mas posso fazer uma sugestão/pedido? Poderiam colocar no post as indicações de filmes, séries e documentários comentados no programa? Tive que voltar no final para anotar as dicas do Wilker, facilitaria pra gente. 🙂
    Bjs

    • Bruno Costa

      Pode deixar que vamos colocar sim!

  • Pedro Carvalho

    Excelente programa, só complementar que existe uma série chamada Rectify, que é muito parecida com o Making a Murderer, e nela tu acompanha o protagonista quando ele sai da prisão depois de passar anos lá e tenta voltar/entender a sociedade nova em que ele está, não assisti muito da série(3 eps de 6), mas recomendo MUITO pelo roteiro e direção.

  • Artur Torquato Teixeira

    Canal 42 cadê o podcast de House of Cards que vcs nos prometeram?! rs

    • Bruno Costa

      Semana que vem! 😉

      • Artur Torquato Teixeira

        Uhuuuuu!!!

  • Richelly Italo

    Nem terminei de ouvir por completo…está muito bom, mas por favor, informem as referências no post…please!

  • Guilherme Jayme

    Muito bom. Obrigado por nos atenderem e colocarem os recados no fim do bloco sem spoilers. Sucesso sempre!! Grande abraço

  • Felipe Bezerra

    Assisti a série em dois dias durante as férias e confesso que tive alguns pesadelos com isso.
    Assistindo a série não tive a certeza da inocência do Steven no segundo caso, para mim, há tanto a possibilidade de ele ter assassinado quanto a possibilidade de ter sido incriminado(criei inclusive uma teoria da conspiração envolvendo o poder policial e judicial do condado), porém, o que fica claro é que o julgamento foi completamente comprometido e deveria ser no mínimo anulado(Ok, sou leigo e meu conhecimento sobre o assunto se baseia praticamente em Law & Order).
    Série tensa.

  • Rodrigo

    Estava esperando vcs falarem sobre Making a Murderer, como a maioria terminei a série quase sem fôlego e fui procurar sobre o caso de Steven Avery.
    Na procura achei no Reddit umas das teorias mais convincentes feita por JayPact para os fatos.

    O texto é grande, mas vale a pena ler.

    “A polícia não matou Theresa Halbach. Andrew Colborn localizou o RAV4
    com a ajuda de Mike Halbach [irmão] e Ryan Hillegas [ex-namorado], que
    entraram ilegalmente na Sucata Avery na noite de 3 de novembro de 2005.
    Mike Halbach e Ryan Hillegas suspeitaram que alguma coisa se estava a
    passar, uma vez que a Sucata Avery foi o último local que eles sabiam
    que Theresa tinha visitado a 31 de outubro, dia das Bruxas. Eles foram
    bisbilhotar a propriedade e encontraram o carro.

    Eles viram o carro e encontraram sangue e a chave na ignição. Mike ou Ryan tiraram a
    chave da ignição, para que ninguém conseguisse tirar o carro da
    propriedade… entraram em pânico por causa desta enorme descoberta e
    ligaram para o Departamento de Xerife do Condado de Manitowoc. Andrew
    Colborn [polícia] interceptou a chamada naquela noite, saiu e foi ter
    com Ryan e Mike para ver o carro. Ryan e Mike mostraram-lhe o veículo.
    Para ter a certeza que pertencia a Theresa Halbach, Colborn fez uma
    chamada e confirmou o número da matrícula. Colborn teve de usar o
    telefone em vez do rádio porque não estava com o carro da polícia
    naquele momento. Estava a pé e ‘no terreno’ da propriedade de Avery.

    Este erro colocou Colborn na cena do crime e em contacto com o RAV4 de
    Halbach dois dias antes deste ser oficialmente localizado a 5 de
    novembro de 2005 por Pam Sturm. Isto foi problemático para Colborn
    porque todas as transmissões de rádio e de telefone registadas em
    serviço são gravadas e conectadas ao servidor da polícia de Manitowoc.
    Andrew Colborn não estava a agir de acordo com o protocolo policial no
    caso de um potencial local de crime onde ele não tinha nenhuma diretiva
    oficial para estar presente. Ele disse a Mike Halbach e a Ryan Hillegas
    para não dizerem nada sobre aquilo que encontraram e para não
    mencionarem a ninguém que estiverem na Sucata Avery naquela noite. Ryan
    ou Mike entregaram as chaves do RAV4 a Andrew Colborn.

    Mike e
    Ryan são mandados para casa. Andrew Colborn liga de imediato para o
    tenente James Lenk e faz-lhe um resumo do que aconteceu: a descoberta do
    carro de Halbach, o facto de ter quebrado o protocolo na propriedade de
    Avery, sobre a presença de Ryan Hillegas e Mike Halbach no local. O
    tenente James Lenk percebe que a chamada de Colborn a propósito da
    matrícula de Halbach foi um erro com possíveis consequências e diz a
    Andrew Colborn para arrancar a matrícula do carro e depois ligar-lhe
    imediatamente.

    O que James Lenk e Andrew Colborn, e todos os outros, não sabem nesse
    momento é que Bobby Dassey [irmão de Brendan Dassey] e Scott Tadych
    [padrasto] raptaram, violaram, balearam e depois atearam fogo a Theresa
    Halbach na privacidade de uma pedreira fora da Jambo Rd, na noite de
    Halloween. Eles optaram por queimar o corpo para se livrarem das provas
    de ADN dos seus crimes. Eles esconderam o carro de Halbach na Sucata
    Avery e limparam todas as suas impressões digitais.

    Eu acredito
    que foi Scott Tadych quem teve a ideia de secretamente transportar as
    cinzas de Halbach da pedreira e descartá-las na fogueira de Steven
    Avery. Scott Tadych transportou os restos mortais de Halbach em segredo,
    usando um dos barris do quintal de Barb Jandas [mulher de Tadych, mãe
    de Brendan Dassey e irmã de Steven Avery]. Scott Tadych não conseguiu
    recolher todas as cinzas de Halbach do local de incineração original,
    deixando para trás alguns restos que os investigadores do FBI
    encontraram mais tarde… mas também não conseguiu tirar todas as cinzas
    do barril de Barb Jandas depois de as despejar na fogueira de Steven
    Avery.

    Foi por isso que os investigadores encontraram pequenos
    restos mortais de Halbach no barril de Barb Jandas. Isso fez um total de
    três sítios onde foram encontradas cinzas de Halbach. Scott Tadych e
    Bobby Dassey não sabem que Ryan Hillegas e Mike Halbach encontraram o
    carro de Theresa na propriedade e que Lenk e Colborn estão agora
    envolvidos e a jogar no seu próprio esquema. Por uma nesga colossal de
    sorte, dois esquemas completamente diferentes colocam um alvo no mesmo
    homem. Steven Avery foi encaminhado para a tempestade perfeita. Numa
    frente, Lenk e Colborn no que diz respeito ao RAV4, noutra Scott Tadych e
    Bobby Dassey em relação aos restos mortais de Theresa Halbach. Nenhuma
    das partes soube do envolvimento da outra em altura alguma durante os
    dias que se seguiram à descoberta oficial do RAV4 de Halbach na Sucata
    Avery, o que levou a uma investigação e julgamento por homicídio sem o
    mínimo sentido para ninguém, especialmente para o júri.

    Nenhuma
    das provas pôde ser relacionada porque nenhuma está relacionada. Toda a
    gente estava a tentar adivinhar. Buting e Strang [advogados de Steven
    Avery] conseguiram perceber uma parte, mas foram incapazes de construir
    uma defesa sólida. O júri não conseguia conceber que os policias de
    Manitowoc pudessem ter conspirado matar Theresa Halbach para incriminar
    Steven Avery, tal como Ken Kratz [advogado de acusação], insistia se
    quisessem seguir a teoria da defesa.

    E Ken Kratz tinha razão…
    Imaginem só o estado de confusão e de alívio absoluto quando o sangue de
    Steve Avery foi encontrado no carro e a chave do RAV4 descoberta no
    quarto de Avery. Ele deve ter ficado… mas que raio?! Uma frase de Scott
    Tadych depois de Steven Avery ser condenado pelo homicídio de Theresa
    Halbach: ‘Esta foi a melhor coisa que alguma vez aconteceu’. Vamos ver
    Scott, vamos ver.”

    JayPact acrescenta: “Esta é provavelmente a teoria mais credível que vi até agora.Reparem
    em como aqui os acontecimentos não só fazem sentido, mas também se
    alinham com a forma como a maioria das partes envolvidas se comportou
    durante o documentário. Isto é, como Mike Halbach e Ryan Hillegas sabiam
    mais sobre o que tinha acontecido do que davam a entender. Também
    explica a bizarra hostilidade de Scott Tadych e Bobby Dassey contra
    Steven Avery.”

    https://www.reddit.com/r/MakingaMurderer/comments/40xtpo/the_most_credible_theory_i_have_seen_so_far/

  • Hider

    Ouvi agora a pouco o podcast. Seria foda se uma segunda temporada fizesse o mesmo que a primeira, te levando a crer que ele seja culpado, com a visão do outro lado da história. Ia ser um tapa. E realmente faria pensar, não só na questão de justiça, mas de como somos levados a crer.

  • Juliane

    Sobre o caso mencionado pelo Wilker e que é retratado pelos documentários Paradise Lost (que eu super recomendo assistir a todos), no Netflix tem um outro documentário chamado West of Memphis que conta todo o caso em um filme só pra quem tá com pressa hahahaha

    Não só as duas histórias (Steven Avery e os três de Memphis) são horríveis, mas têm em comum uma confissão de uma pessoa claramente limitada intelectualmente depois de hoooooras de interrogatório. É triste demais (mas o filme é ótimo, assistam. E os documentários também!)

    • Este por sinal produzido por Peter Jackson, um dos que ficaram malucos com a história. Abs.

  • Gustavo

    Vou ser sincero que essa é uma das poucas q me senti empolgado a acompanhar pela indicação do Cast, me deixou muito empolgado
    PS: Apesar do Juras não ter participado e eu considerar um ótimo mediador, fico feliz de saber q o cast funciona mesmo na ausência dele, parabéns para todos os participantes.

  • Charmichael

    cade o cast de Hannibaaalll?? , eu to dando f5 toda segunda desde que saiu o ultimo episodio, to louco pra ouvir vcs falarem de Haniball ! ! !

    • Lucas Da Silva Biava

      Serie porcaria…

      • Charmichael

        Kkkkkkkk essa foi boa

  • MClaraA

    Eu tentei ver essa série….. Mas não aguentei nem mesmo o primeiro episódio. E não é questão de não gostar do estilo…. Eu AMO Serial, o podcast que foi referenciado no início, mas a diferencia dessas duas pra mim é crucial. Na série, ele deixa claro desde o início que o julgamento foi injusto, enquanto Serial deixou claro que provavelmente não haveria uma resposta, desde o início. E, francamente? Não existe apenas um caso de injustiça jurídica por aí, a questão é como fazer ela parecer interessante, na minha opinião. Se está obvio o resultado, qual a graça? O massa desse tipo de série, pra mim, é avaliar todas as teorias possíveis, lutar contra todos os resultados e chegar a um em que você se sinta mais confortável. Se, desde o início não há mistério… Qual a graça? (por outro lado, eu até acho que entendo um pouco o ponto por que eu AMO Blackfish e chorei de me acabar, mas é claro desde o inicio que a vida era injusta com aquelas baleias…. vai me entender….)

    • Marilia Gil

      Então, no 1º episódio eles falam da 1ª passagem do Steven na cadeia, que foi, claramente forjada, mas conforme a serie evolui e mostra a 2ª ida pra cadeia, você fica nessa de “será que agora ele é culpadp mesmo ou foi armação again?”. Vale a pena ver.

  • Paulo Rodrigues

    Como é o nome do documentário que o Wilker diz na primeira parte, The Dinks?

  • Alan Zim

    Cara,que coincidência,eu achei essa série hoje na Netflix e fiquei curioso pra saber mais sobre ela,ai vocês vão e fazem o cast kkk,muita sorte!
    Ah,e parabéns pela escolha da trilha sonora do cast,ficou perfeita!

  • Christian Machado

    Poderiam fazer um podcast sobre a série Banshee, ela é muito foda.

  • Thiago Fernandes

    N vai ter canal 42 essa semana n?

  • kiraraito

    Eu gosto muito de documentários, mais esse não tinha me prendido com o 1 epi, agora que terminei de ouvir o cast, PQP vou assistir assim que puder, vlw muito obrigado e parabéns pelo exelente Podcast

  • Heloisa

    Acho que por mais que a direção nos leve a acreditar na inocência do Steven, acaba tendo um efeito oposto, pois todo mundo que conversei sobre o Making a Murderer não compra tão facilmente essa tese. Por mais que as provas contra sejam frágeis,as pró-Steven também são. A maior lição desse giga documentário é como o sistema é fraco, como um pré-julgamento pode moldar o consciente coletivo.

  • Abner Azevedo

    Eu fiz um vídeo,compartilhando minha visão sobre a série. É bem simples mas é interessante pra apresentar a série.

    https://youtu.be/S1OZZo4K_oQ

  • Diego de Paula

    Trilha do The Last of Us? Sucesso!!

  • HUEHUEHUEHUHEUHEUEH

    qual é a musica de 1:17:00 ?

  • Danilo Pereira

    4,5/5 pelo maniqueísmo. Se pusessem uma interrogação no título e adotassem uma linha mais imparcial seria uma obra perfeita, mesmo sendo mais longa do que deveria.

  • Marilia Gil

    Amei o episódio!
    Lembro que quando assisti Making a Murderer fiquei MALUCA querendo falar sobre isso com alguém mas ninguém que eu conhecia tinha visto. Agora ouvi o episódio… Muito obrigada, finalmente tirei essa ânsia de falar sobre a série.
    E já comecei a correr atrás dois outros documentários citados. Tô amando isso! <3

*Campos obrigatórios

Mostrar
Sumir