canal42_header_S03E05_DWP

82 – Dear White People (Temporada 1)

Canal42 82

“As pessoas olham minha pele e presumem que sou pobre, ou sem instrução, ou mendiga. Então é, é pessoal. Eu quero ser mais palatável, entrar para uma irmandade, o que há de errado nisso?” – Sam

Jurandir FilhoBruno Costa, Raphael Santos e Ricardo Rente conversaram sobre a primeira temporada de Dear White People. A polêmica série da Netflix gerou barulho desde os trailers. Por que tudo isso?

Sinta-se em casa e deixe o seu comentário. \o>


ASSISTA AO TRAILER DA SÉRIE


 NÃO DEIXE O CANAL42 MORRER!


ASSINE O NOSSO FEED

Não perca nenhuma edição do 42. Assine:

iTuneshttps://itunes.apple.com/br/podcast/canal42.tv/
Android/Windowshttp://feeds.feedburner.com/canal42podcast


SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS

Envie e-mails para: canal42podcast@gmail.com


CRÉDITOS

Decupagem: Jef Barbosa
Trilhagem e Artes: Ricardo Rente


OUÇA AGORA O PODCAST

Aperte o play abaixo e bem-vindo ao nosso mundo:


Quer baixar essa edição para o seu computador? CLIQUE AQUI!

Comentários

  • Ainda não assisti a série, vamos ver se o cast me convence a dar uma chance.

  • Eduardo I

    Muito bom programa! Acompanho todos desde o primeiro!
    Sobre o tema, assisti ‘Atlanta’, quando terminei vi ‘Dear White People’ e depois a nova temporada de ‘Master of None’ e é incrível o quanto de coisa louca e que não faz nenhum sentido acontece no mundo, que por não ser minha realidade acabo conhecendo pelas séries.
    Muito bom esse movimento de aparecer cada vez mais um conteúdo mostrando realidades bem diferentes do que passa na tv e na midia em geral, essa é a função da arte, mas na prática não é assim que funciona.

  • Ítalo Dos A. Santos

    Eu achei a serie regular.. e uma perda de tempo pelo menos para mim. Eu tinha visto o filme de 2014, e achei regular. As atuações eu curti, gostei de como os personagens foram trabalhados.. Não achei cansativo a serie . Mais eu achei certas posições de como o tema foi trabalhado algo forçado. E o ápice disso foi no episodio aonde envolve a ação policial. Achei toda a justificativa ruim , tipo não me convenci que aquilo tudo começou porque simplesmente o cara branco estava cantando a música aonde tinha a palavra nigger.

    Eu sei o peso que a palavra tem, mais eu acho mais importa e o contexto que ela e inserida. Naquele caso ele estava cantando simplesmente uma música aleatória de rap. Boa parte das músicas de rap americana possui , essa palavra .Tipo no Show do Lil Wayne a maioria do público e branca (tanto que o próprio disse não senti racismo ). Se acontecesse a mesma situação de um cara branco cantar a música aonde tem a palavra , e o outro negro pedir para parar ..Não faria sentido porque é uma simples música… E o próprio Lil Wayne não se importa quem ( seja branco ou negro está cantando a música ). Então na minha visão achei todo o pontapé para o desenrolar da cena errado.

    Mas eu gostei do desenvolvimento dela, de como o Reggie reagiu. Eu sou pardo no meu id, mais me considero negro. Nunca passei por algum tipo de racismo , mais se isso acontecesse eu não saberia como reagir.. no momento eu pensei numa reposta que ele poderia ter dado ao policial… mais isso foi depois.. Tipo se isso acontecesse na hora, eu teria gelado e morrido de medo.Foi uma cena tensa e provavelmente a melhor coisa dessa serie.

    Minha experiencia com a serie foi no geral Ok.. tipo tanto fez como tanto faz.. Acho que tem coisas melhores sobre o tema .. como o documentário I Am Not Your Negro ou o 13 emenda.

    • Edson Xis

      Italo, ali a questao do uso da palavra “nigger/nigga” é mais cultural. É diferente daqui, do Brasil. Talvez a gente não entenda o peso que ela tem para os negros norte americanos. Lá é tenso…

      • Renato Santos

        sei lá, esse lance de ” a gente não entende” não me parece justificativa. A letra tá na musica e é cantada, o cara não tava fazendo nada além de repetir uma música, fica parecendo q só eles podem se chamar de uma palavra que eles mesmo consideram racista, isso é tão idiota, assim como os gays se tratam por bixa e outras coisas, mas se um hetero falar, é homofobia.
        Falta ainda para a maioria das pessoas ter uma mente saudável , aberta e transcendental…

      • Ítalo Dos A. Santos

        Eu sei cara..eu vejo filme, documentário .. eu sei do poder da palavra.. Mais eu acho que não era necessário a atitude do cara negro naquele momento.. e no contexto que esta sendo cantando uma simples música

  • phsantos

    Pra explicar melhor esse lance da mulata(o), que passamos somente a citar, é ofensivo, pois vem da palavra Mula. E, pra entender, segue texto da “mundo estranho”:

    “Mula e burro, por sua vez, são um outro animal, formado a partir do cruzamento entre um jumento e uma égua.”
    Fonte: http://mundoestranho.abril.com.br/mundo-animal/qual-a-diferenca-entre-jumento-mula-burro-jegue-e-asno/

    • Ítalo Dos A. Santos

      Nunca achei que mulata fosse ofensivo.. Já vi pessoas se referindo a mulheres principalmente a esse termo.. e muitos atribuem isso a caracteriza do brasileiro ..mulato ou mulata.

  • Victor Hugo Cavalcanti

    Galera a questão das cotas raciais tbm tem um viés histórico. Após a primeira e a segunda guerra a Alemanha teve que indenizar os países invadidos e essas indenizações repassadas pra sociedade. Nós fomos o ÚLTIMO país do mundo a abolir a escravidão negra, essa população não recebeu nenhuma indenização pelos séculos de abusos sofridos, as cotas servem como uma indenização para a população negra.

    • Renato Santos

      dívida histórica não passa de um monte de gente q não sofreu opressão querendo cobrar de um monte de gente que não oprimiu os mesmos.

      • Antonio Junior

        mano, queria que fosse verdade oq vc alegou mas infelizmente a população negra ainda sofre opressão sim ! A gente não tem noção da quantidade de absurdos a quais eles sao submetidos, o que não significa que não sejam reais. Dizer que as cotas estimulam a desigualdade é o mesmo que dizer que um deficiente em uma cadeira de rodas tem que subir em uma escada para não ferir a igualdade. Os meios são diferentes. E igualdade é equilibrar esses contextos díspares. Eu tenho certeza que vc não oprimiu ou nao teve intenção de orpimir ninguém, mas não significa que não exista, entende ? Abraços.

        • Renato Santos

          entendo sim, e é como vc falou, assim como eu há milhares de pessoas q não se importam com a cor das outras pessoas, mas essas mesmas tem q viver sempre em alerta pra não serem mal interpretadas, há uma vigília constante e não por medo de dizer algo ofensivo, e sim de alguem se ofender com algo q vc falou sem intenção nenhuma de ofender. E quando isso acontece, só quem tem ouvidos e razão é a parte ofendida. Toda luta por igualdade é válida, apenas não gosto da generalização que muito ocorre quando falam ” vc é branco, hetero, homem… bla bla bla.

          • Antonio Junior

            cm certeza mano. isso é um problema verdadeiro. inclusive abordado na série. No ep do gabe quando ele, introspectivamente, pensa : não sou um babaca somente por ser branco. E há um discurso mt forte que legitima essa violência. Devemos ser contra qualquer filha da putagem independente de cor ! Também acho uma sacanagem quando as pessoas relevam casos que ocorrem com pessoas brancas falando que negros passaram coisas piores. Acho que deve se ter um bom senso e achar um meio termo.

    • Junior Silva

      Dívida histórica é uma das maiores merdas que existe. Cota é uma sacanagem, é tratar o negro como coitadinho, como se ele não tivesse capacidade para porra nenhuma. Os muçulmanos escravizaram os brancos (eslavos) e os negros durante SÉCULOS, não vejo muçulmano querendo pagar divida histórica nenhuma. Aliás, ele não é obrigado a nada, ninguém é obrigado a pagar o que o seu antepassado fez. Em toda a história humana, sempre teve povos opressores e oprimidos. O NEGRO NÃO É DIFERENTE!

      Ps: antes que me xinguem, eu sou negro.

    • Marco Antonio de Oliveira Sant

      Ué, mas em um caso foi uma guerra e na outra foi escravidão, e não foi contra um país, então é estranho…

  • dboísta

    Ricardo você foi infeliz ao dizer que por causar da pessoa não ter oportunidades ou ser pobre, ela teve que recorrer ao crime.
    Se assim fosse só haveria criminosos no Brasil, a pessoa que recorre ao crime é fraca e quer uma saída rápida.

    • Felipe Nogueira

      é facil pra um playboy falar né? Pra fazer um comentário desse é porque foi criado no cercadinho da vó. Quem sabe o que é não ter um prato de comida, não faz comentários, apenas fica ouvindo o que essa sociedade de merda tem a julgar. Infelizmente, você nunca passou fome pra entender o lado de quem passa fome. Por que não tenta? Já que você é fortão. Poderoso, GOD.

      • dboísta

        Você nem me conhece para dizer que eu sou playboy, Nunca passei fome graças ao meu pai e mãe que trabalharam duro para me dar comida e um lar, mas eles passaram fome e várias outras necessidades e me ensinaram a valorizar o trabalho, e nem por isso viraram criminosos. eles tinham a desculpa perfeita e as más influências por perto, todo mundo tem uma escolha e escolher o crime é uma saída fácil.

        • Felipe Nogueira

          essa cara de play boy ai segurando celular. Pede pro seu papai compra Rivotril pra acalma sua depressão. Seu play boy do caralho.

      • Renato Santos

        se o cara lá falou merda,vc tá falando mais ainda, nem todo mundo q rouba , assalta, comete latrocínio é pq tá passando fome, é sim escolha dele, escolha de ferir outro apenas pra ter o q quer, bandido dessa categoria tem q morrer mesmo, passar fome não é desculpa pra roubar celular, relógio, tênis, ou um banco.

        • Felipe Nogueira

          é, playboy tem que se foder as vezes pra parar de pensar merda e achar que o mundo é facil e tranquilo. Seu play boy de merda, tirando foto em frente a praia e fumando uma maconha, acha que pode enganar? Porque nao vai pra favela, viver lá 10 dias. Aposto que volta pra casa e pede Rivotril pro papai pra poder dormir de noite porque está em “depre”. Seu merda. Se mata seu lixo.

          • Renato Santos

            kkk tá nervosa é? acho q quem precisa de calmante é a menina aí.

        • Marco Antonio de Oliveira Sant

          Roubar banco ou loja eu não tô nem aí, não tenho dó de banqueiro não. Mas se for uma ameaça pra segurança das pessoas ou estiver roubando as pessoas tem que morrer sim.

    • Edson Xis

      Amigo é duro o que vou dizer…mas recorrer ao crime não é uma saída fraca e rápida. A coisa é mais profunda. As vezes, infelizmente, para muitos é a unica saida.

    • Filipe Bortoletto

      Não amigo, infelizmente sim a pessoa cai no crime por não ter oportunidades. Vamos imaginar o seguinte: Uma família pobre composta por pai, mãe e quatro filhos com idades geralmente próximas, um belo dia o pai ou a mãe falece (bala perdida, assalto, acidente de trabalho, doença não tratada a tempo, etc) temos uma família abalada ai, e uma família de 5 pessoas com um salário a menos para sustento, a mãe ou pai não consegue sozinho vestir os filhos, pagar aluguel, comida, material escolar (não bolsa escola não da pra sustentar 4 crianças em idade escolar). Ai o filho mais velho de uns 10 anos recebe um convite de um amiguinho que diz vai ali levar um papelote, uns pinos, etc para mim e eu te pago tantos reais… pronto uma criança de 10 anos fruto de um ambiente criminoso, e de uma família desestruturada sem apoio do pai/mae porque eles trabalham de mais para trazer sustento já está dentro do crime.

      • Bean

        Se a pessoa vira criminoso por falta de oportunidade, então me explica por que o crime também está presente nas camadas mais ricas da sociedade, me explica Suzane von Richthofen, me explica os políticos ladrões. Crime não tem nada a ver com ser pobre ou não, tem a ver com escolhas certas e erradas, com ética, com empatia, com saber se colocar no lugar do outro.

        • Filipe Bortoletto

          Parece que nem leu o que eu falei, você ta colocando no mesmo saco contextos e crimes diferentes, so peço pra voce ler novamente meu comentário e ouvir o cast de novo tbm para entender qual tipo de contexto se fala aqui. Caso contrario pode continuar ai achando que o pobre sem aparato de estado e familiar que escolhe entrar no crime para se sustentar pois esta mais ao alcance, se encaixa no mesmo tipo de crime de colarinho branco

          • Junior Silva

            “aparato de estado e familiar que escolhe entrar no crime para se sustentar pois esta mais ao alcance, se encaixa no mesmo tipo de crime de colarinho branco”

            Não muda em nada do fato de que crime é crime. Isso é falta de caráter, seja do pobre ou do rico. É querer infringir a dignidade humana acima de tudo.

    • Antonio Junior

      Mas ele não disse que é regra. Ele disse que é uma possibilidade real. Infelizmente jogamos tudo em um mesmo saco mas há vários tipos de crime. É fato que condição social não determina sua vida, tanto que ricos também cometem crimes, mas vc acha que eles são punidos com a mesma violência que um pobre ? Um cara roubou um shampoo aqui perto da minha casa e a população lixou ele. Eike Batista desviou milhões e a galera pedia pra tirar foto. Tendo a “cor certa” e status quo vc passa quase incólume a punição e fazendo crimes MT PIORES. Enfim, o sistema carcerário tem serios problemas que precisam ser higienizados e pra ontem.

    • derty maelany

      Você quer ver o filme de melhor qualidade em 2017? Você pode começar aqui VIDNOWMOVIES.BLOGSPOT.COM
      Foi quando eu comecei

  • Quero saber quando a Netflix vai fazer Dear Skinny People.

  • Edson Xis

    Galera do Canal42…ainda nao ouvi o cast, mas desde já agradeço e parabenizo a equipe pela coragem de tocarem neste tema aqui. Esta serie precisava ser feita. Como negro me identifiquei em muito com cada um dos personagens em algum ponto. Pra mim, emocionalmente, o ponto de virada foi o episódio sobre o Reggie. Só quem ja teve um cano de revolver apontado por um policial pelo simples fato de sua cor entende o quanto aquela cena dói. Dói mesmo. O choro do Reggie foi o meu e o de muitos. Parabens novamente à Netflix.

    • Bruno Costa

      Foi nosso mano! O choro dele foi de todos nós.

  • Renato Santos

    cara, q merda aquilo da ligação, q exagero, aquele mané tem q se foder mesmo, ele teve a melhor das intenções quando chamou a policia pra parar uma confusão casada pelo negro em primeiro lugar, e ninguem percebeu isso? a atitude de demente dele já deveria bastar para ser desculpado, o cara é um mamão, sem atitude, não sabe se defender, ele fez o certo e ainda fica correndo atrás de uma idiota q não entendeu seu motivo e achou q tudo foi culpa dele e não do policial.

  • Filipe Bortoletto

    Só “explicando” o ponto da apropriação cultural. O problema que o grupo que defende vê não é só o branco usar termos, adereços que pertencem a comunidade negra, mas sim marcas usarem isso e não botarem uma modelo, ator etc para fazer a campanha da linha de roupas dita “africana”. E mais um ponto que eles cobram é usar esses adereços/termos e esquecer que eles representam de onde eles vem e automaticamente desconsiderar que são da cultura negra, seria um embranquecer de coisas que representam a cultura deles.

    Acho super certo aliás esses grupos brigarem por isso.

  • Filipe Bortoletto

    E essa tropa do “só é bandido quem quer” nos comentários cresçam porra!

    • Leonardo Augusto Baumgartner

      oq?? então na sua opinião ser bandido é inerente a qualquer pessoa pobre, negra “fodida”, e não questão de caráter? acabei de descobrir que 1/4 da minha família é bandida e esconde de todo mundo…

      • Filipe Bortoletto

        o que qualquer pessoa pobre tem a ver com “só é bandido quem quer” ? Além do fato de ter deixado claro no comentário mais abaixo que são muito fatores que podem levar alguém ao crime e UM, UM! deles é o ambiente favorável. Fácil pegar um ponto isolado do meu argumento e toma-lo como verdade universal desconsiderando todo o resto que eu falei.

  • Raur

    Por favor, assistam e façam um cast sobre ATLANTA.
    Série excelente que aborda temas semelhantes, só que de maneira menos “didática”. Ela que acerta em todos os pontos que Dear White People erra, ao meu ver.

    • Junior Silva

      Essa sim é boa.

  • fcavalli

    A maioria das pessoas de periferia e de favelas são de bem, é bandido quem decidiu ser assim, foram influenciados por outros fatores? com certeza, mas no final o que manda é a sua consciência, pau no cu de vagabundo e tenho dito.

  • Danilo Gomes

    Cara eu gostei muito da série, e eu me vi muito ali no papel do Gabe, meu pai era negro e minha mãe é branca, puxei o lado dela e nasci com a pele clara , tenho dois irmão negros todos de sangue e dos mesmos pais. digo que me vi no personagem, pq eu sei como é essa coisa de querer fazer parte ,querer entender como é a injustiça e o sofrimento na questão do racismo mais ao mesmo tempo eu não posso, quando criança eu brigava na escola pra defende-los pq eu achava um absurdo chamarem eles de macacos e outros tantos apelidinhos escrotos , eu chorava quando as crianças do colégio ficavam falando que eu era adotado … não conseguia entender o pq das pessoas serem tão babacas . Me vi muito ali no Gabe pq me sinto deslocado na minha própria família assim como ele la no grupo , to sempre dando apoio ,tentando entender ,me revoltando mais na verdade por mais que zombavam de mim por ter o pai negro eu nunca estive na pele deles ,eu nunca vou viver de fato o que eles vivem. o pior é que olho pra frente e realmente não consigo ver as coisas melhorarem ,se no Brasil que temos essa mistura maravilhosa de raças o racismo é absurdamente presente ,imagina no resto do mundo. Um abraço a todos.

  • Luciano Valério

    Comecei a assistir a série, mas parei no segundo ep e não sei se voltarei (muita série pra ver em pouco tempo)…mas gostei mto do cast, achei algumas ponderações inteligentes e tudo mais.

    Uma dica para os comentadores: estejam dispostos a ouvir e ponderar a opinião do outro, antes de lançar a sua resposta. Sejamos paz e amor, pois o mundo já tem guerras demais!

    Parabéns pelo programa!

  • Alisson Paulo Saia

    No more ideas, it’s over!

    By Mamonas Assassinas

  • Antonio Junior

    Cara, vcs tao vindo numa leva de casts ABSURDAMENTE necessários ! São tantas discussões incríveis e d nível alto que o canal 42 já deixou de ser um cast que so fala de séries, e sim um cast sobre a vida ! parabéns pelo trabalho foda.

  • Ricardo Andrade

    eu sempre achei que esse tipo de série só fazia propagar mais o racismo.. mas realmente não sei mais. mas queria dizer uma coisa, eu homem, hétero sexual, branco, de classe média, magro, unica coisa que posso me enquadrar nas minorias seria por ser nerd (hj em dia nem tanto mais), mas sempre procuro não ser racista nem preconceituoso, sei que as vezes algo passa, até sem intenção, porém, meu avô materno era negro/preto, por conta disso tenho primos e tias também negras, e minha mulher é negra, tenho amigos homossexuais.. só que apesar de tudo isso.. sempre que eu vejo uma série dessa ou alguém que sofreu racismo ou preconceito, alguém apontando o dedo na cara dos racismos que sofre eu me sinto, não atacado, mas me sinto culpado.. e outro dia eu parei para pensar.. “ué.. mas pq eu me sinto culpado? não foi eu que fui racista.. eu não escravizei ninguém, nunca ataquei ninguém….” é foda, não sei se esse comentário vai parecer racista, se for já peço desculpas.

    • Felipe Romao

      nao foi nem um pouco racista ricardo, eu entendo isso, eu tenho um amigo que se enquadra nos mesmos pontos que voce (e ele nem nerd é haha), e ja conversamos sobre isso, ele as vezes sente essa angustia de como se fosse culpado por algo, e eu digo “cara, voce perceber seus privilegios e respeitar as pessoas já é um otimo servico contra qualquer tipo de preconceito”, nao se culpe, continue assim. Eu sou negro e homossexual, eu sou o Lionel naquela historia haha e mesmo tendo as minhas lutas eu reconheco que tenho privilegios por ser homem, e muitas vezes sinto uma angustia de culpa quando o assunto é feminismo, como se eu tivesse feito algo haha é mto doido isso, mas fica tranquilo

      • Ricardo Andrade

        vlw brother 🙂

  • Edinho Bianchini

    So achei q faltou.falar mais sobre a serie em si

  • Mr White (Luis Mendes)

    Finalmenteeeee, tive tempo pra mais um ótimo cast.

    Então, Dear White People, foi aquele tipo de série que estava esperando mais uma comédia extremamente escrachada com racismo reverso, mas fui pego de surpresa com uma série que fala muito sobre tensões raciais, junto com critica social feita com extremo cuidado.

    Eu so não dou 5 estrelas pra série pois ela me perde um pouco após o excelente quinto episódio.

    obs: Uma excelente série também sobre o tema é Atlanta.

  • Mr White (Luis Mendes)

    Sobre o coments, Ricardo rente, eu quis dizer comentado no cast, mas esqueci que vocês estavam comentado sobre as séries que ainda faltaram ser comentadas no Canal 42. Enfim. mal pela lista imensa no final kkkk e até a proxima.

  • Ítalo Dos A. Santos

    Eu estava reouvindo o cast.. e achei um ponto que eu acho que tem que ser avaliado , e por isso resolvi deixar esse novo comentário. A respeito do feminismo, o ph ou o Bruno, que comentou durante uma discussão das amigas que nessa situações sobre o femininos ele fica a parte . É eu acho errado isso. Porque lógico eu não sou mulher, mas acho que o homem tem sim direito de opinião e julgar certos aspectos da causa feminista . Eu como qualquer pessoa ciente, acho valido a luta das mulheres, sou a favor dos direitos igualitários e acho que sim a sociedade e machista. Mais tem aspectos e questões que envolvem o femininos , que tem que ser debatidas. Como por exemplo o aborto, ou que o movimento e muito utilizado pra manobra política. Não me considero homem feminista porque as mulheres dos meio não levam eles a serio.. Basicamente é isso que eu queria dizer.

  • Gerson Vieira

    A verdade é que nunca saberemos qual lado esta certo ou errado.

  • Marco Antonio de Oliveira Sant

    Bom episódio, achei que a série ia ser uma bomba mas achei mais ou menos ela.

  • Homero Luz

    Assisti essa série agora é li todos comentários, para quem acredita em “racismo reverso” ou que não existe privilégio de cor vou contar uma historinha:
    Estava eu e meu sogro, ambos brancos, pendurados em um muro chamando o zelador da obra para abrir o portão passou uma viatura, o que aconteceu? Nada, agora se fossemos negros o que será que aconteceria?

[contact-form-7 id="78" title="Formulário de contato 1"]
Mostrar
Sumir